Wikipédia Quem Somos Mulher 500 Publicações Parceiros Links
Home Contato Wikipédia
  Nesta seção além de obter informações sobre as temáticas relacionadas ao papel da mulher na história do Brasil, você pode também nos ajudar a construir de maneira participativa e democrática o Dicionário Mulheres do Brasil - Volume II, através desta ferramenta.  
COLABORE
Login:
   
Senha:
   
Cadastre-se aqui
  Esqueci minha senha
 
Mini-biografias contidas no "Dicionário Mulheres do Brasil Volume I (publicado) e Volume II (a publicar).
 
Busca Alfabética
| A-C | D-G | H-L | M-P | Q-Z |
Busca Avançada
Nome:
Século:  
Estado:  
Etnia/Cor:  
Atividade:  
Palavra-chave  
Volume:   I II (Wiki)
 
  Guia de referência bibliográfica com a temática de gênero, etnico-raciais e direitos humanos.  
Busca
Palavra-chave:
   
Artigos, Dissertações e Teses.
Busca
Palavra-chave:
Tipos:
Nesta seção estamos disponibilizando cartazes produzidos pelo Movimento Feminista, Movimento de Mulheres, Ong's e Instituições públicas; que tratam de temáticas relacionadas a defesa dos Direitos Humanos das Mulheres.
Busca
Palavra-chave:
Categoria:
 

 

Wikipédia
Indique o portal
destaqueS do portal

Mulheres no Pódio - Espetáculo Teatral (19/9/2016)
Companhia Contemporânea Mulher de Palavra



Centro Cultural Parque das Ruínas apresenta “Mulheres no Pódio”, espetáculo teatral que faz parte do calendário oficial do Comitê  Olímpico, contando a trajetória da mulher brasileira no esporte olímpico e paraolímpico, inspirado em depoimentos de atletas e ex-atletas

 

Com estreia no dia 24 de setembro, montagem da Companhia Contemporânea Mulher de Palavra é protagonizada pelas atrizes Shirley Cruz, Gleice Uchoa e Raquel Polistchuck

Em meio à mobilização das mulheres para ter o seu espaço cada vez maior na sociedade, estreia no Centro Cultural Parque das Ruínas, em Santa Teresa (Rio de Janeiro), o espetáculo “Mulheres no Pódio”, que cumpre curtíssima temporada com apresentações nos dias 24 e 25 de setembro (sábado e domingo), às 16 horas, e dupla sessão no dias 26 e 27 do mesmo mês (segunda e terça), às 16h e 19h.

 

A montagem faz parte do calendário oficial do Comitê Olímpico dentro das atividades culturais das Olimpíadas e Paralimpíadas 2016, a partir de recursos do edital de Fomento Olímpico, da Secretaria Municipal de Cultura. Com texto da atriz e produtora Shirley Cruz, que também atua e assina a direção ao lado do cineasta Paulinho Sacramento, “Mulheres no Pódio” ainda conta com as atrizes Gleice Uchoa e Raquel Polistchuck e tem supervisão da pedagoga e militante feminista Schuma Schumaher.

 

A direção do cineasta Paulinho Sacramento, que também assinou a direção do mapeamento de vídeo do Boulevard Olímpico da Rio 2016, traz para a montagem interatividade, aliando arte e tecnologia, através da utilização video mapping, e uma vasta experiência de Sacramento como diretor e idealizador do Rio Mapping Festival, o maior festival da técnica na América Latina. Inspirado em depoimentos e na vida de atletas e ex-atletas, o espetáculo reserva algumas surpresas com a interação audiovisual.

 

Durante o espetáculo, serão exibidos projeções e depoimentos de atletas e ex-atletas brasileiras, registrados durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, como das ex-jogadoras de vôlei Isabel Salgado e Lica Oliveira e da paratleta do arremesso de peso Rosinha Santos.

 

“Mulheres no Pódio”, uma homenagem às atletas brasileiras, contará a trajetória da mulher brasileira no esporte olímpico e paralímpico. A montagem pretende mostrar uma visão panorâmica e interativa da inserção das mulheres nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, a partir de suas histórias e curiosidades, inspirada em depoimentos contemporâneos, pesquisa e imagens de arquivos, todas cedidas por Schuma e sua equipe.

 

Memórias, histórias, sentimentos, percepções, corpo e tecnologia são alguns dos ingredientes que vão ajudar a contar a trajetória da mulher no esporte, contribuindo para a desnaturalização dos estereótipos de gênero, raça, deficiência e orientação sexual, além de construir um legado social dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no país.

 

O espetáculo conta com a supervisão de Schuma Schumaher, uma das personagens mais respeitadas no âmbito institucional ligado a discussão de gênero e direitos da mulher, que afirma: “O projeto tem como premissa a valorização e a visibilidade das mulheres nos esportes olímpicos e paralímpicos, através do teatro. Retratará no palco a vida e a história de diversas atletas brasileiras. Para nós, homenagear essas guerreiras é uma forma de construir um país sem estereótipos de gênero, raça, deficiência e orientação sexual. É apostar na igualdade no Esporte!".

 

Sinopse sugerida

Mali é uma cineasta apaixonada por esportes. Sua mãe teve a carreira no atletismo interrompida pelo seu avô, em uma época em que lugar de mulher era na cozinha. Até o dia do vestibular, Mali ainda tinha dúvidas se cinema era mesmo seu caminho. Mas um convite inesperado une as duas paixões da jovem. O espetáculo faz uma homenagem à inserção das mulheres nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, com depoimentos de atletas e imagens de arquivos.

 

Ficha Técnica

Direção: Shirley Cruz e Paulinho Sacramento

Texto e Produção Executiva: Shirley Cruz

Supervisão: Schuma Schumaher

Elenco: Gleice Uchoa, Raquel Polistchuck e Shirley Cruz

Cenografia / Video Mapping: Paulinho Sacramento

Diretora de Produção: Debora Paganni

Assistente de Produção: Pablo Alves

Pesquisa: Schuma Schumaher e Liliane Brum

Assistente de pesquisa: Livia Monteir e Rita Ribeiro

Direção de movimento e coreografia: Raquel Polistchuck

Arte: Sonho de Papel

Assessoria de Imprensa: Silvana Cardoso | Juliana Feltz | Passarim Comunicação & Mkt

Agência de propaganda: Milenove

Realização: Companhia Contemporânea Mulher de Palavra

 

Sobre Shirley Cruz

Com 17 anos de carreira, Shirley Cruz estreou como atriz no filme “Cidade de Deus” de Fernando Meireles. Com a série do canal a cabo HBO, “Filhos do Carnaval” (2006-2009), produzida pela O2 Filmes, do premiado diretor Cao Hamburger, foi pré-selecionada ao Emmy Awards. Entre os trabalhos na TV, também destacam-se as séries “Gentalha” (2014, Canal Brasil), “Família Imperial” (2013, Canal Futura), “Afinal, o que querem as mulheres”? (2010, Rede Globo), dirigida por de Luiz Fernando Carvalho. No primeiro semestre de 2016 gravou as séries do Canal Brasil “Stella Models” (sem previsão de estreia), que tem direção de Samir Abujamra, e “Lapa 24horas”, que tem direção de Paulinho Sacramento, com previsão de estreia para 2017.

 

No teatro, participou do projeto “Negro Olhar” (2012), ao lado de Milton Gonçalves e Ruth de Souza. Shirley também participou de videoclipes de artistas renomados, onde podemos destacar os cantores Vanessa da Mata (“Segue o Som”) e Seu Jorge e Gabriel Moura (“Miss Favela”).

 

No cinema, atuou em mais de 30 filmes. Em 2016, Shirley Cruz finalizou as filmagens da cinebiografia do cantor e compositor Marcelo D2, “Anjos da Lapa”, que tem direção de João Araújo. No filme previsto para 2017 é Marli, é madrasta do cantor, esposa do pai do artista, interpretado por Stepan Nercessian. Também rodou “O Rastro” (direção: J.C. Feyer), onde interpreta uma médica, ao lado dos atores Claudia Abreu e Rafael Raposo e tem previsão de estreia para 2017. Além disso, é personagem do documentário “Sweet Rotten Potatos”, em fase de produção.

 

Idealizadora da Companhia Contemporânea Mulher de Palavra, Shirley atua como produtora executiva, atriz e autora. Durante as Paralimpíadas do rio de Janeiro (2016) estreia o espetáculo "Mulheres no Pódio", que conta a trajetória da mulher brasileira no esporte olímpico e tem produção através de recursos do prêmio de fomento olímpico, edital da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. É sócia e diretora da Preta Produções, empresa extremamente atuante no mercado cultural, à frente de projetos audiovisuais, de teatro e música.

 

Como jornalista, fez parte da equipe de Jornalismo do SBT, na função de repórter, sob a coordenação de Ana Paula Padrão.


Sobre Paulinho Sacramento

O carioca Paulinho Sacramento tem 41 anos, é cineasta, artista visual e gestor público de cultura (UERJ). Diretor e idealizador do Rio Mapping Festival, maior festival de video mapping da América Latina, foi coordenador da área de audiovisual do Circo Voador. Entre os trabalhos no mercado audiovisual, destaca-se o curta “Le Pain” (2015), que foi filmado em Bassoues, na França. Sacramento assina a direção da série “Lapa 24 horas”, com Babu Santana, Flávio Bauraqui, João Velho, Shirley Cruz e grande elenco, produção prevista para 2017.

 

No teatro, esteve na direção geral do espetáculo denominado "Penso Vozes", com Bernardo Mendes, Babu Santana e Ana Chagas, que encerrou sua primeira temporada no Parque das Ruínas, em junho de 2016. O espetáculo tem como estética a linguagem do video mapping como personagem principal do texto.

 

Como artista visual, assina grandes intervenções de video mapping para o Natal do Shopping Nova América e Rio Design Barra, o I Festival de Cinema de Petrópolis. Ainda em fase de concepção, desenvolve a intervenção na fachada do Museu Nacional na Quinta da Boa Vista, que em 2018 comemora seus 200 anos. No Boulevard Olímpico da Rio 2016 realiza projeções no emblemático prédio da Radio Nacional.

 

Sobre Gleice Uchoa

A jovem atriz é integrante do grupo Nós do Morro há cinco anos. Em sua carreira destacam-se participações em festivais como o Interuniversitário de Cultura, com o espetáculo "O Marinheiro" (2015); Festival de Teatro do Rio, com "Era uma vez a Tempestade – Um Shakespeare para todas as idades" (2015) e o Festival EncontrArte com “O Homem de Dentro” (2013). Seu último trabalho em cartaz foi no Teatro Glauce Rocha com o espetáculo "O Marinheiro", texto de Fernando Pessoa, participante do edital da Cena Aberta da Funarte 2016. Recentemente, a atriz apresentou no Teatro do Vidigal uma curta temporada de seu espetáculo solo "Pagú pra quê?".


No audiovisual, destacam-se os trabalhos nos curtas-metragens "Almoço de Domingo" e "Primeiro Ato", com os alunos de cinema da escola Darcy Ribeiro (2015). Em junho de 2016, participou do videoclipe da música remix “Is This Love”, de Bob Marley, com a participação dos artistas Lvndscape e Bolier.

 

Sobre Raquel Polistchuck

Atriz e bailarina, destacam-se na formação de Raquel Polistchuck os sete anos no Centro de Arte Nós da Dança, escola de dança moderna e jazz. Integrou o Grupo de teatro Nós do Morro (2013) e também foi bailarina do grupo Xstyle dance Company, considerado o melhor grupo de danças urbanas do Rio de janeiro (2012). Foi aluna da atriz Camila Amado e do instituto Michael Chekhov Brasil.

 

Como bailarina, destacam-se os seguintes trabalhos: clipe Show das Poderosas, da cantora Anitta (2013); show Criança Esperança (Rede Globo, 2008); “Artista completão”, quadro do programa Domingão do Faustão (Rede Globo, 2014); “Lata velha” quadro do Caldeirão do Huck (Rede Globo, 2014); programa “Não ta fácil pra ninguém” (canal a cabo Multishow, 2014); coreografou o Flash Mob do Rio Parada Funk (2014); bailarina em ala coreografada das escolas de samba Estação Primeira de Mangueira e Viradouro (2009) e coreógrafa e preparadora corporal da peça “Era uma vez Tempestade” (2016) do Grupo Nós do Morro, na qual faz parte do elenco. Paralelamente ao espetáculo “Mulheres no Pódio”, em setembro Raquel estará em cartaz com o Grupo Nós do Morro, na montagem “Noites do Vidigal”.


Sobre Schuma Schumaher

Maria Aparecida Schumaher, conhecida como Schuma, é uma pedagoga e militante feminista brasileira.

 

Formada em Pedagogia pela Faculdade de Ciência e Letras Professor José Augusto Vieira Machado, Schuma Schumaher organizou o “Dicionário Mulheres do Brasil” (2000), que reúne 270 ilustrações e 900 verbetes sobre mulheres de diversas áreas que contribuíram para a transformação social do Brasil em quinhentos anos de história. O livro faz parte da série de trabalhos pertencentes ao projeto “Mulher 500 Anos Atrás dos Panos”, desenvolvido pela Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh), do qual Schuma é coordenadora-executiva.

 

Também coordenou a campanha "Quem ama abraça - Fazendo escola". Foi ainda dirigente da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB). Recebeu em 2005 o Diploma Bertha Lutz.

 

Sobre a Companhia Contemporânea Mulher de Palavra

A Companhia Contemporânea Mulher de Palavra tem a proposta de, a partir da observação do universo feminino, levar as questões da mulher para o palco. Com o objetivo principal de oferecer a arte como ferramenta de reflexão sobre o papel da mulher na vida e na sociedade. O maior desejo é valorizar, provocar pensamentos e ações positivas, que fortaleçam cada vez mais a trajetória e conquistas femininas.

 

A montagem teatral inédita, “Mulheres no Pódio”, é fruto do prêmio de edital de Fomento Olímpico, da Secretaria Municipal de Cultura, como parte do calendário oficial das Olimpíadas 2016.

 

Serviço:

Espetáculo “Mulheres no Pódio”

Direção: Shirley Cruz e Paulinho Sacramento

Texto: Shirley Cruz

Supervisão: Schuma Schumaher

Elenco: Gleice Uchoa, Raquel Polistchuck e Shirley Cruz

Local: Centro Cultural Parque das Ruínas

Temporada: 24 a 27 de setembro | sábado, domingo, segunda e terça

Horário: sábado e domingo, 16h | segunda e terça 16h e 19h

Preços: R$ 30,00 (inteira) – R$ 15,00 (meia)

Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169 Santa Teresa, Rio de Janeiro, RJ.

Telefone: (21) 2215-0621 | (21) 2224-3922

Classificação etária: Livre

Duração do Espetáculo: 60 min

Lotação do Teatro: 60 lugares

Horário da bilheteria: 15h

Patrocínio: Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro

Site: www.mulherdepalavra.com.br

 
 
REDEH 2008 ©. Todos os direitos reservados.